AS FONTES DOS ALTOS GRAUS EGÍPCIOS 

 

Ninguém nunca saberá exatamente a origem exata dos altos graus maçônicos. Eles foram certamente fixados no século XVIII nos caminhos

da Franco-Maçonaria especulativa, mas como veremos mais adiante,eles se ligam a correntes muito mais antigas.

 

Se o “olhar esotérico” ao interrogar os mistérios da alma e do universo para além das verdades religiosas oficiais sempre existiu, não é indiferente recordar que no Ocidente ele não floresceu realmente com o Humanismo ou a Renascença.

 

Desde os primeiros anos do século XVI, se formam  na França e na Itália círculos que estudam o Neoplatonismo, o Hermetismo, a Cabala e ainda a “Religião dos Egípcios”. Por seu relativismo, seu interesse pelas outras formas da espiritualidade e sua confiança na riqueza insondável do homem, esta busca verdadeiramente iniciática aparece inseparável de uma perspectiva Humanista.

 

Assim, quando o clima e a conjuntura política não permitem mais a livre expressão, esses círculos, que é preciso qualificar bem de iniciáticos, se refugiam no segredo.

 

Após o Hermetismo da Renascença, um outro ciclo se desenvolve no século XVII com o gesto da Rosa-Cruz que, a partir da Alemanha, tocará a França e a Inglaterra. No início do século XVIII, essas correntes se desenvolveram em grupos mais ocultos e igualmente na Franco-Maçonaria nascente que ofereceu uma estrutura um pouco mais exterior particularmente bem adaptada.

A PASSAGEM PELO RITO EGÍPCIO

A criação dos altos graus é apenas uma colocação em forma maçônica do ensinamento e das práticas desses círculos iniciáticos que sobreviviam mais ou menos subterraneamente há vários séculos. O ambiente liberal das Luzes penetrou uma forte difusão da Franco- Maçonaria e em seu caminho uma multiplicação e um verdadeiro entusiasmo pelos Altos Graus. Mas, este entusiasmo foi acompanhado por uma incontestável confusão.

Também, no último terço do século XVIII, uma preocupação de esclarecimento conduz a organizar os altos graus em ritos que apresentam um certo número de características próprias e uma escala específica de graus: Rito de Perfeição no final dos anos 1760 (tornado em 1801-1804 o Rito Escocês Antigo e Aceito), Rito Escocês Retificado em 1782 e Rito Francês em 1784.

 

A constituição desses ritos permitiu de colocar em ordem a maioria dos altos graus então praticados. Alguns, no entanto, não haviam sido levados em conta nessas reformas, tratavam-se de graus ou de pequenos sistemas maçônicos com fortes conotações esotéricas.

 

É provavelmente a origem da formação do Rito de Memphis no ambiente “Retorno ao Egito” desde os primórdios do século XVIII.

 

Com uma escala impressionante de graus, o rito de Memphis deu lugar a muitos graus esquecidos pelos outros ritos.

 

Implantado em Montauban em 1815, o rito  conheceu uma vida cheia de agitações, de cisões e de saltos ao longo de todo o século XVIII e XIX.

 

Uma parte dos dignatários do Rito  formou o Rito de Memphis . A exemplo de seus predecessores da Renascença, o engajamento de certos membros  pelos valores humanistas de Liberdade, Igualdade e Fraternidade e contribuíram para suas confusões com a polícia que causaram sua constante proibição. Paralelamente, ele sempre foi uma encruzilhada onde se encontraram os Franco-Maçons interessados pelos estudos esotéricos e a busca iniciática. 

OS ALTOS GRAUS HERMÉTICOS DA FRANCO-MAÇONARIA

Uma das características do Rito Egípcio é de ter sido, a partir de um único patrimônio simbólico e ritualístico, organizado com modalidades diferentes segundo os lugares e as épocas.

 

A escolha do Soberano Santuário do Brasil foi de praticar os Altos Graus  segundo a escala que havia sido definida por John Yarker

É nessas formas tradicionais que  os Irmãos Fundadores do Soberano Santuário do Brasil receberam as suas iniciações e as transmitem .

 

Um dos pontos notáveis desse sistema é entregar o ensinamento  no quadro de uma escala de 95 graus:

PRIMEIRA SERIE

MESTRE SECRETO (1862)

MESTRE PERFEITO(1849)

SECRETARIO INTIMO OU SUBLIME MESTRE (1867)

PREBOSTE OU JUIZ (1849)

INTENDENTE DE EDIFÍCIOS OU MESTRE DA PALESTINA (1849)

MESTRE ELEITO DOS NOVE

10° ELEITO DOS QUINZE

11° SUBLIME ELEITO OU ELEITO DAS DOZE TRIBOS 

12° GRANDE MESTRE ARQUITETO

13° CAVALEIRO DO REAL ARCO

14° CAVALEIRO GRANDE ELEITO DA ABOBODA SAGRADA ,GRANDE ESC. DA ABOBODA SAG. DE JAIME VI

15° CAVALEIRO DO ORIENTE OU DA ESPADA (1862)

16° CAVALEIRO PRINCIPE DE JERUSALEN

17° CAVALEIRO DO ORIENTE E OCIDENTE (1849)

18° CAVALEIRO ROSACRUZ OU DA AGUIA NEGRE E DO PELICANO -  CAVALEIRO PRINCIPE ROSACRUZ DE KILWINNING OU DE HEREDON (1862)

SEGUNDA SERIE

19° CAVALEIRO GRANDE PONTIFICE DE JERUSALEN OU SUB. ESCOCES DA JERUSALEN CELESTE (1862)

20° CAVALEIRO GRANDE MESTRE DO TEMPLO DA SABEDORIA (1862 )

21° CAVALEIRO O PATRIARCA NOAQUITA DA TORRE (1862)

22° CAVALEIRO DO LIBANO O REAL HACHA (1862)

23° CHEFE  DO TABERNACULO (1862)

24° PRINCIPE DO TABERNACULO (1862)

25° CAVALEIRO DA SERPENTE DE BRONZE 

26° CAVALEIRO DA CIDADE SANTA OU ESCOCES TRINITARIO PRINCIPE DE MISERICORDIA (1862)

27° CAVALEIRO DO SOL O PRINCIPE ADEPTO 

28°  GRAN COMENDADOR DO TEMPLO (1862)

29° CAVALEIRO DE SÃO ANDRES DO ANDRÉS DO CARDO (1862)

30° CAVALEIRO GRANDE  ELEITO KADOSCH OU DA AGUIA BRANCA E NEGRA (1862)

31°  SUBLIME PRINCIPE DO REAL SEGREDO(1862)

32° CAVALEIRO TEUTÓNICO O SOBERANO PRINCIPE DE TODOS OS MAÇONS O CAVALEIRO KADOSCH

33° SUBLIME CAVALEIRO KADOSCH , CAVALEIRO GRANDE INSPETOR GERAL 

34° CAVALEIRO DA ESCANDINÁVIA (1862)

35° ILUSTRE  SUBLIME KADOR 

36° CAVALEIRO PHILALETHES OU CAVALEIRO SABIO DA VERDADE

37° CAVALEIRO HOSPITALEIRO DE CRISTO

38° O CAVALEIRO DO LEÃO

39° CAVALEIRO COMENDADOR DA ESTRELA 

40° CAVALEIRO DA TRIPLICE CRUZ 

41° CAVALEIRO MESTRE VERDE ESCOCES

42° CAVALEIRO DO LIBANO.

43° SUBLIME SÁBIO FILOSOFO HERMÉTICO ADEPTO,OU APRENDIZ FILOSOFO SUBLIME DESCOND(1862)

TERCEIRA SERIE

44° CAVALEIRO DA SUÉCIA OU FILOSOFO ILUMINADO

45° ILUSTRE CAVALEIRO DO INTERIOR - NOVIÇADO

46° ILUSTRE CAVALEIRO DO INTERIOR - CAVALARIA

47° CAVALEIRO DAS SETE ESTRELAS (1862)

48° CAVALEIRO KADOSCH TEMPLARIO DA PALESTINA

49° SUBLIME SABIOS DAS PIRAMIDES (1862)

50° SUBLIME CAVALEIRO DE DEUS E SEU TEMPLO

51° CAVALEIRO DA FHOENIX , SUBLIME TITAN DE CAUCASO 

52° MINEIRO CHAVE MAÇONICA GRAU 1   -  SABIO DO LABIRINTO

53° LAVADOR  CHAVE MAÇONICA GRAU 2    -  CAVALEIRO OU SABIO FENIX 

54° SOPRADOR CHAVE MAÇONICA GRAU 3    -  SUBLIME ESCALDO

55° FUNDIDOR  CHAVE MAÇONICA GRAU 4   - SUBLIME DOUTOR ÓRFICO

56° ESCUDEIRO NOVIÇO

57° ESCUDEIRO DA CIDADE SANTA 

58° SABIO PROFESSO CAVALEIRO BENFEITOR DA CIDADE SANTA

59° GRANDE  PROFESSO CAVALEIRO BENFEITOR DA CIDADE SANTA

60° SUBLIME GUARDIÃO DOS 3 FOGOS OU PATRIARCA DOS PLANISFÉRIOS 

61° CAVALEIRO DO DELTA SAGRADO OU CAVALEIRO DO TEMPLO DA VERDADE

62° SUBLIME SABIO DE ELÉUSIS 

63° CAVALEIRO DAS TRES AGUIAS DE OUROS OU COROADAS

64° SABIO DE MITRAS

65° INTERPRETE DOS HIERÓGLIFOS OU PATRIARCA DE ÍSIS 

66° JUIZ FILOSOFO GRANDE COMANDANTE DESCONHECIDO - GRAN CONSAGRADOR 

67° GRAN EULOGISTA

68° CAVALEIRO DA CABALA 

69° PATRIARCA DA VERDADE

70° VERDADEIRO MAÇOM ADEPTO OU ALQUIMICO

71° CAVALEIRO ARGONAUTIC

72° CAVALEIRO DO VELO DOURADO

73° APRENDIZ CHOEN

74° COMPANHEIRO CHOEN

75° MESTRE CHOEN 

76° GRANDES ARQUITETOS

77° GRANDE ELEITO DE ZOROBABEL  OCAVALEIRO DO ORIENTE 

78° COMENDADOR DO ORIENTE 

79° SUBLIME FILOSOFO

80° SUBLIME GRAU DE ELEIÇÃO OU DE HOMENS ELEITOS( PARTE 1)

81° SUBLIME GRAU DE ELEIÇÃO OU DE HOMENS ELEITOS( PARTE 2)

82° PATRIARCA DE MEMPHIS

83° CAVALEIRO DA ESTRELA DO ORIENTE

84° CAVALEIRO PROFESSO DA ESTRELA DO ORIENTE 

85° SUBLIME CAVALEIRO DA ESTRELA

86° SUBLIME MESTRE DO ANEL LUMINOSO

87° PRÍNCIPE E CAVALEIRO DO ORIENTE

88° PATRIARCA DA CIDADE MÍSTICA

89° CAVALEIRO ADEPTO DA AGUI E DO SOL - CAVALEIRO DO SOL

90° SUBLIME MESTRE DA GRANDE OBRA

QUARTA SERIE

91° GRAN DEFENSOR DA ORDEM (1856),OU INSPETOR GERAL DA ORDEM (1862)

92° PRÍNCIPE DE MEMPHIS GRAN CATEQUISTA DA ORDEM (1856)

93° PRÍNCIPE DE MEMPHIS GRAN REGULADOR GERAL DA ORDEM (1856)

94° PRÍNCIPE DE MEMPHIS GRAN ADMINISTRADOR  DA ORDEM (1862)

95° GRANDE CONSERVADOR PATRIARCAL DO RITO (1856),OU SUBLIME PRÍNCIPE DE MEMPHIS(1862)

SANTO IMPÉRIO DA ORDEM

96° MAGUS SUBLIME, OU SOBERANO PONTÍFICE DE MAGOS DO SOBERANO DE MEMPHIS (1862)

PRESIDENTE GERAL DA ORDEM

97° GRANDE HIEROFANTE

Esta primeira série de graus é composta pelo 4º. até o 18º começa com o 4º. e termina em 18, conhecido como o Capítulo Rosacruz. Esses graus ensinam a moralidade, dão a explicação dos símbolos, proporcionam aos noviços pesquisas filosóficas e fazem com que entendam a primeira parte da história.

O Senado dos Filósofos Herméticos, trabalha com os graus de 19 a 43 inclusive, ou seja, a segunda série de graus. O último está preocupado com o ensino de Ciências Naturais, a Filosofia da História; e explica os mitos da antiguidade. Seu objetivo é estimular a investigação de causas e origens e desenvolver os sentimentos humanitários.

A Terceira Série é composta de Grau 44 a 90, e são trabalhadas no Conselho Sublime, Templo Místico que faz conhecido a parte restante da história do Rito. Ele também está preocupado com a Alta Filosofia; estuda os mitos religiosos das diferentes idades da humanidade e admite as obras teosóficas mais avançadas.O Templo Místico é a representação do Santuário Soberano em todo o Oriente. Todo Templo místico é conhecido como o Grande Império dos Príncipes Soberanos de Memphis, liderado pelo Grande Pontífice, que é o porta-voz do Soberano Grande Conservador Geral do Rito e guardião das Tradições Sagradas.

O Soberano Santuário Graus oficiais e iniciais Santuário Soberano é aquele que é encarregado de governar tudo sobre os Capítulos, Senados e Conselhos sublimes, Templo místico.